Santo André, * *

Sindserv Santo André denuncia transferência arbitrária da Coordenadora do CRAS Vila Luzita
A assistente social foi transferida de forma arbitrária na semana passada e informa que soube da mudança para a Secretaria de Habitação por telefone, quando ainda estava afastada por suspeita de COVID-19, que felizmente foi descartada.

Por: Viviane Barbosa, Redação Sindserv Santo André
Publicação: 14/05/2020

Imagem de Sindserv Santo André denuncia  transferência arbitrária da Coordenadora do CRAS Vila Luzita

O Sindserv Santo André pede à Prefeitura e à Secretaria de Cidadania e Assistência Social que mantenha a assistente social, Francineide Alves da Rocha, na Coordenação do CRAS Vila Luzita.

A assistente social foi transferida de forma arbitrária na semana passada e informa que soube da mudança para a Secretaria de Habitação por telefone, quando ainda estava afastada por  COVID-19.

“Essa transferência me pegou de surpresa. Procurei obter informações sobre as razões dessa mudança e não obtive resposta”, disse a profissional. Fran, como é conhecida pelos colegas, trabalhava no CRAIS Luzita há 12 anos – o órgão é referência em atendimentos na cidade, cerca de sete mil famílias são assistidas -- maior índice do município, conforme base no Cadastro Único do Governo Federal.

Em repúdio, colegas de profissão assinaram um abaixo-assinado (abaixo), que coletou quase 1.200 assinaturas, no qual pedem que a Secretaria reconsidere a transferência da profissional.

“Entendemos que seja necessário e urgente a reconsideração dessa Secretaria quanto à permanência da coordenação e equipe de referência, com o objetivo de dar continuidade dos serviços ofertados em prol da população atendida”, destaca trecho do documento.

O Sindicato, mais uma vez, se solidariza com Fran e exige resposta urgente da Prefeitura e da Secretaria de Cidadania para que  ela possa retornar às atividades no CRAS Vila Luzita.


 

CARTA DE REPÚDIO

Nós, trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social – SUAS do município de Santo André, vimos por meio desta, manifestar o nosso repúdio à atitude da Secretaria de Cidadania e Assistência Social dessa Prefeitura Municipal de Santo André, quanto ao comunicado de transferência da atual Coordenadora do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Vila Luzita, Francineide Alves da Rocha, para outra Secretaria.

 

Compreendemos que tal atitude é desrespeitosa ao trabalho construído pela referida coordenadora e equipe de referência do CRAS Vila Luzita, trabalho esse planejado e articulado com a rede socioassistencial, os serviços públicos do território, as Organizações Não Governamentais, as lideranças comunitárias e com os usuários do Sistema Único de Assistência Social - SUAS.

 

Salientamos que, nesse momento da pandemia COVID -19, as expressões da questão social estão mais latentes, sendo o CRAS, equipamento público de Proteção Social Básica que atende a população de maneira a minimizar os impactos da situação de vulnerabilidade social.

 

 Ao desmantelar a equipe do CRAS, na tentativa de desmobilizar os trabalhadores do SUAS, haverá fragilidade na operacionalização das ofertas de serviços aos cidadãos, e assim a ruptura com os princípios da Política Nacional de Assistência Social, consequentemente agravará as situações de desproteção no território.

 

Ademais, ressaltamos que há pedidos de transferência para outras secretarias deste município por parte de profissionais técnicos. Tais solicitações, sempre negadas com o argumento da defasagem das equipes, causa estranheza ao ter uma transferência imposta, particularmente nesse momento crítico, no qual as vulnerabilidades sociais se evidenciam. Abrir mão de uma técnica qualificada e comprometida com o Sistema Único de Assistência Social é incoerente com o histórico desta Secretaria de Cidadania e Assistência Social que sempre buscou manter seus trabalhadores, evitando maior precarização do trabalho com equipes já em defasagem de profissionais.

 

                Portanto, entendemos que seja necessário e urgente a reconsideração dessa Secretaria de Cidadania e Assistência Social, quanto à permanência da coordenação e equipe de referência, com o objetivo de continuidade dos serviços ofertados em prol da população atendida no CRAS, equipamento esse de assistência social com maior índice de atendimento desse município, conforme base no Cadastro Único do Governo Federal.

 

Trabalhadores do SUAS de Santo André.

06 de maio de 2020.

 

 




Comunicação e Imprensa do SindServ Santo André
Agência: Mídia Consulte Comunicação & Marketing
Fone: 55 + (11) 3136-0953 /  9+6948-7446
Editora e Assessora de Imprensa: Viviane Barbosa MTB 28121
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Mídia

Facebook

Galeria de Fotos

Eunice Lopes, servidora de Limeira, é a nova presidenta da FETAM-SP