Santo André, * *

Sindserv Santo André apoia Campanha: sem vacina, sem retorno às aulas presenciais
A Direção do Sindserv já reiterou à Prefeitura que não é o momento de voltar às aulas e que o município não tem obrigação jurídica de seguir as decisões do governador Dória (PSDB).

Por: Viviane Barbosa, do Sindserv Santo André
Publicação: 27/10/2020

Imagem de Sindserv Santo André apoia Campanha: sem vacina, sem retorno às aulas presenciais

A diretora do Sindicato, professora Daisy Dias na Carreata em Defesa da Vida- foto: Valdir Lopes

Sem dialogar previamente com os professores, a Secretaria de Educação de Santo André divulgou um comunicado no dia 21 de setembro que pegou todos de surpresa e deixou preocupado o Sindserv Santo André.

O documento enviado às chefias das escolas anunciava a realização de um “inquérito Epidemiológico” com a testagem de COVID-19 dos alunos da rede municipal de ensino entre 04 e 10 anos e EJA. “A testagem de alunos ocorrerá por amostragem, de maneira a contemplar todas as regiões do município. As unidades escolares participantes foram selecionadas e indicadas pela Secretaria Municipal de Saúde”, informava o comunicado da Secretaria.

Para o Sindicato, essa “testagem” em cima da hora é preocupante e levanta as suspeitas da intenção do governo Paulo Serra (PSDB) em querer antecipar a volta às aulas neste ano. Em resposta aos questionamentos do Sindicato sobre as precárias condições dos educadores andreenses no trabalho remoto e a situação insalubre dos operacionais, a Secretaria de Educação confirmou a suspensão das atividades escolares até o final do ano letivo de 2020. 

“A suspensão das aulas presenciais tem como premissa básica a não aglomeração de pessoas em cada sala de aula nos ambientes escolares”, cita trecho do documento da Secretaria enviado ao Sindicato.

100% dos professores andreenses estão na atividade remota e  muitos estão lecionando usando sua própria internet, seus celulares pessoais já não comportam as demandas escolares;


TESTAGEM PARA EDUCAÇÃO 

Após cobrança do Sindicato, a Prefeitura realizou finalmente no dia 22 de setembro a testagem dos servidores da Rede Municipal de Ensino. O Sindicato manifestou repúdio a alguns casos de trabalhadores que não conseguiram fazer o teste, porque não tinham carro – sem dúvida um absurdo!

Essa testagem é resultado da enquete do Sindicato "A COVID-19 na educação e a segurança dos educadores e alunos" com os profissionais que constatou que a grande maioria (95,7%) não tinha feito o teste da Prefeitura.

O Sindicato aguarda a resposta sobre o fornecimento de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como máscaras, luvas e álcool gel aos servidores operacionais que estão trabalhando e, segundo  levantamento do Sindicato, não estão recebendo esses kits de proteção nas unidades escolares.


CARREATA PRÓ-VIDA
No dia 30/9, dirigentes do Sindicato, do Sinpro-ABC e da Apeoesp realizaram uma carreta em DEFESA DA VIDA: escolas fechadas = vidas preservadas, que saiu em frente à SE e percorreu o centro até o Paço, onde os sindicalistas fizeram um ato.

A Direção do Sindserv já reiterou à Prefeitura que não é o momento de voltar às aulas e que o município não tem obrigação jurídica de seguir as decisões do governador Dória (PSDB), já que as cidades têm autonomia para legislar. A vida das crianças, dos professores e dos funcionários na educação importam.




Comunicação e Imprensa do SindServ Santo André
Agência: Mídia Consulte Comunicação & Marketing
Fone: 55 + (11) 9+6948-7446
Editora e Assessora de Imprensa: Viviane Barbosa MTB 28121
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Mídia

Facebook

Galeria de Fotos

Coleta de Assinaturas contra o PL39 de Paulo Serra nas repartições públicas